DOE através da Vaquinha: DOE EM AMOR – AQUI TEM VIDA

Se tu mora em uma casa ou apartamento, já deve ter pensado o quanto é reconfortante chegar em casa e tomar um banho depois de um dia cansativo de trabalho ou estudos; ou ainda quando fazemos feira e precisamos neste momento de quarentena lavar e descontaminar todos os produtos. Vamos pensar um pouco então em quem não tem esse local de limpeza e descanso porque não tem onde morar. Se nos dias comuns é difícil, imagina neste momento de pandemia?

Pesquisas apontam que o aumento da população em situação de rua no país está ligado ao desemprego e à falta de assistência dos governos, a chamada crise econômica que afeta a classe mais pobre com maior impacto, e ainda aos conflitos familiares gerados pelas faltas de condições estruturais associados ao abuso de álcool e outras drogas. Misturando-se a esse caldo, temos atualmente a pandemia da COVID-19 que afeta a todas e todos indiscrimanadamente, mas tem atingido fortemente a esta população de extrema vulnerabilidade que enfrenta além da fome, o frio e a insalubridade. Vale lembrar que o  senso nacional ignora o número e as condições sociais destas pessoas, agravando a deficiência das políticas públicas voltadas para este setor.

Entao, pela garantia dos Direitos Humanos básicos destas pessoas em situação de rua em Recife, a campanha Aqui Tem Vida tem atuado como movimento social realizado por voluntárias e voluntários que doam seu tempo e seu trabalho levando cestas básicas, máscaras, sabonetes, roupas e cobertores.


Gabriela Sampaio explica que desde 2009 se envolve em projetos sociais voltados para amparar a população em situação de rua. Junto com Thiago Leite, que integra o Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, fundaram o Aqui Tem Vida para demarcar a existência de pessoas que vivem embaixo dos viadutos da cidade do Recife. “Decidimos recuperar esses viadutos, fazer trabalhos de horta, de limpeza e desinfecção, de diálogos sobre tirar documentos, conseguir psicólogos, trabalhos com arte, com dança, esporte… Começamos a planejar e criamos o projeto Aqui Tem Vida, porque de fato há vida nesses viadutos. E aí foi quando começou a pandemia”, explica Gabriela. 

As atividades presenciais cessaram, mas inspiradas nas campanhas solidárias que começaram após a pandemia, iniciaram esta campanha de higiene pessoal e de frutas, pensando na imunidade dessa população. Estão sendo atendidas principalmente as pessoas das áreas próximas ao Ilê Obá Aganjú Okoloyá- Terreiro de Mãe Amara, do qual Gabriela faz parte. A campanha foi amplificada de tal forma que pessoas confeccionaram máscaras para serem doadas, quadros foram doados para que o dinheiro de sua venda fosse revertido em materiais dos kits de limpeza, entre outras ações. Agora, o Aqui Tem Vida está com uma vaquinha online para seguir com seu trabalho. Sem financiamento governamental, a campanha precisa de doações, seja em dinheiro pela vaquinha, seja em materiais entrando em contato pelo instagram.

Gabriela demarca que o projeto será permanente. “Assim que a gente puder sair pra rua e entrar em contato, mobilizar, iremos. Minimamente, já fazemos, vamos lá, trocamos uma ideia, perguntamos o que eles estão precisando, como foi o dia… Tentando sempre manter esse diálogo, tentar levar palavras de conforto. O projeto vai continuar pelo resto dos anos. Enquanto a gente tiver na ativa, ele não vai parar”.

DOE através da Vaquinha: DOE EM AMOR – AQUI TEM VIDA

Contatos
Tel.: (81) 996346240 (Gabriela Sampaio) | Instagram

Tem Vida nos viadutos: dignidade para a pessoas em situação de rua na pandemia

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *